Esse post é uma atualização de outro post que escrevi em 24 de julho de 2019: https://www.denisgomes.com.br/2019/07/24/bradesco-querendo-pagar-de-descolado/

Na ocasião falei de o Bradesco querendo abocanhar os clientes que estão correndo para os bancos digitais e resolveu “inovar” oferecendo conta corrente MEI gratuita por um ano, e abertura pelo próprio celular. Então resolvi experimentar.

E a minha opinião é: os grandes bancos não têm qualquer chance contra os bancos digitais.

Abrir a conta pelo aplicativo foi bem fácil, começar a usar também. Os problemas vieram no atendimento, que apesar de cortês e de ter sido contatado por alguém da agência local para me dar as orientações iniciais, deixou a desejar pelo banco como um todo.

Primeiro, não cumpriram oferta: cobraram uma tal de tarifa de cartão não uma, mas duas vezes. O atendente da agência local prometeu resolver o problema mas nada foi feito.

Acho que os grandes bancos dificilmente vão largar o osso de cobrar tarifa para tudo quanto é coisa. Tudo bem, eles possuem estruturas muito grandes e precisam cobrar para manter isso – ou você acha que aquela agência onde você vai e tem um monte de funcionários não tem custo pra ficar lá? 😀

E eu não me importo de pagar por serviços, mas pelo menos devem cumprir o que foi ofertado. Se era sem mensalidade por 1 ano, então…

Segundo, a experiência de abrir e usar a conta não é a experiência com a qual estamos acostumados hoje com a nova geração de bancos. NuBank, Inter, Original e demais bancos nos fizeram conhecer um futuro onde as coisas simplesmente funcionam, de forma simplificada, e o atendimento é simples e direto.

Essa “nova fase” do Bradesco é basicamente mais do mesmo, apenas com uma roupagem diferente.

Até o próprio cartão Next (que eu tenho, e é outra tentativa do Bradesco de estabelecer um banco digital descolado) tem uma experiência que é nitidamente de um banco tradicional – é preciso passar por SEIS telas diferentes (com os correspondentes tempos de espera de carregamento) para fazer um TED para você mesmo em outro banco.

Terceiro, a experiência do aplicativo de internet banking no celular. Ela pode ser apropriada para empresas maiores, onde há uma maior hierarquia e controle sobre as operações. A quantidade de funções também é muito grande para uma pequena empresa.

Acredito que seria interessante o Bradesco reconsiderar isso oferecendo produtos diferentes de acordo com o tamanho da empresa, ou seja, um produto para MEI, outro para pequenas e médias empresas, e outro para grandes empresas. Cada um tem suas necessidades específicas, colocar todo mundo no mesmo balaio não parece adequado.

Por fim, uma palavra sobre o atendimento: além dessa conta empresarial eu também tenho uma conta pessoa física, que também abri para testar. Enviei documentação para alteração de endereço há cerca de uma semana e até agora os documentos não foram analisados. Nos bancos digitais, basta uma conversinha por chat que é tudo resolvido, quando não por dentro do próprio aplicativo.