Em minha postagem anterior eu falei um pouco sobre internet de alta velocidade em Tupã, mas o assunto de internet em alta velocidade, obviamente, é interessante a todos e não só aos moradores da cidade ????

Após a instalação da minha conexão, comecei a ponderar sobre a questão da velocidade ao utilizar um roteador wi-fi. E me vieram uns pontos que acredito serem relevantes de se considerar se você pretende ter uma conexão de altíssima velocidade.

A maioria das pessoas utiliza, tanto no trabalho quanto em casa, um roteador wireless (Wi-Fi) para que seja prática a conexão entre computadores, smartphones, tablets, smart TVs e a internet. Claro, afinal não é preciso passar cabos. Muito prático.

Porém o que ocorre é que o protocolo utilizado numa conexão Wi-Fi, conhecido como 802.11, não foi exatamente projetado para permitir altíssimas velocidades. Se você possui conexão a internet com até 100 mbps de velocidade você não tem com o que se preocupar – mas acima disso a coisa fica bem comprometida.

Mas Denis, o meu roteador diz que ele aceita até 300 mbps!

A versão mais recente deste protocolo, chamada de 802.11n, permite sim uma velocidade máxima teórica de 300 mbps, mas uma velocidade prática de cerca de 150 mbps. Além disso para conseguir esta façanha esse protocolo utiliza 3 canais de comunicação. O wi-fi disponibiliza 11 canais de comunicação diferentes, e ao usar 3 canais por vez isso aumenta em muito as chances de interferência com seus vizinhos, o que pode reduzir ainda mais a sua velocidade.

E isso sem falar em interferências com outros dispositivos como teclados e mouses sem fio (que também operam em 2,4 GHz), fornos de microondas, etc.

Além disso o dispositivo que se conectar ao roteador precisa suportar o 802.11n para ter acesso a tudo isso. Se ele for mais antigo ele irá se conectar nos modos 802.11g ou 802.11b, que são mais lentos. Geralmente os roteadores fornecem também esses modos de conexão por questões de compatibilidade.

Mas calma que fica pior: para (talvez) tentar contornar essa situação surgiu mais um protocolo de rede que utiliza uma frequência diferente. O padão no wi-fi é transmitir a 2,4 GHz e o novo protocolo transmite em 5 GHz. É uma frequência diferente e portanto haveria menos interferência e maior velocidade, certo?

Bem, sim e não. Esse novo protocolo permite velocidades maiores (teórica 900 mbps, prática 450 mbps) mas ao custo de um alcance muito reduzido, de no máximo 70 metros sem impedimentos (contra 125 metros do protocolo citado anteriormente). E claro, quanto mais gente usando 5 GHz, maiores as interferências – de novo.

Conclusão

Se você possui internet de alta velocidade – acima de 100 mbps – ou se a sua empresa precisa transmitir arquivos muito grandes em sua rede interna – por exemplo, uma empresa de fotografia ou de edição de vídeos – o wi-fi não é a solução ideal, apesar de toda a sua praticidade.

Se você quer obter a velocidade máxima, você deve conectar seus dispositivos através de um cabo de rede.

Mas isso não significa que você não pode usar o wi-fi. Você pode conectar o seu dispositivo principal – seu computador de trabalho por exemplo, ou o seu videogame (pra você baixar aqueles jogos gigantes) – via cabo, e os demais dispositivos via wi-fi, sem problema algum.

Se você conectar-se somente via wi-fi, pode ser que você não consiga obter a máxima velocidade de sua conexão – e a culpa não será do seu provedor de internet.

E o seu provedor de intenet também deveria lhe orientar sobre isso e não apenas dizer que você deve comprar o roteador X ou Y.